pexels-fauxels-3183170
Improve Business

Improve Business

Quer saber o valor do UX? Entenda como ele pode aumentar os retornos de investimento (ROI) da sua empresa

Investir em usabilidade -UX- é muito mais do que criar experiências enriquecedoras, os resultados também podem ser comprovados no crescimento financeiro da empresa. 

A aplicação de UX na construção de um produto ou serviço é algo frequentemente justificado pela primazia da qualidade do que se oferece, com processos simples, intuitivos e resolutivos para o usuário final. O argumento, no entanto, é muito mais amplo do que este. De fato, se os tomadores de decisões dentro das corporações não se convencem dos benefícios do UX, é importante trazer o argumento financeiro para dentro da conversa. Afinal, há como medir o ROI (Retorno de Investimento) de UX? 

Sim, os resultados de UX são mensuráveis e as empresas podem obter ganhos muito maiores prevendo a usabilidade logo no início do projeto do que buscando formas de corrigir defeitos no produto/serviço final uma vez que ele é lançado. O aprimoramento constante é premissa de qualquer projeto de sucesso, mas é importante distinguir melhorias de correções. Melhorias são feitas para que algo siga em constante evolução. Correções são necessárias para projetos que já nascem com falhas. 

Leia também:
Metodologias ágeis: por que post its e Lego ganharam tanto espaço nas empresas?
Ter um CXO na sua empresa realmente faz diferença na experiência do cliente?
Entenda as diferenças: personas de marketing x personas de design

Muito mais do que criar uma experiência interessante ao usuário, o designer de usabilidade procura equilibrar adequadamente os recursos financeiros disponíveis com a criação de algo de fato executável e, por fim, a construção de uma experiência agradável ao usuário. 

O que é o Retorno de Investimento? 

Como o próprio nome diz, esse termo expressa tudo aquilo que você consegue medir sobre o investimento que realizou. Calcular o ROI é fundamental para que você entenda se os investimentos feitos dentro da empresa de fato estão fazendo sentido. Ao analisar o ROI mais a fundo, conseguimos medir:

  • os investimentos que são válidos e aqueles que não estão trazendo o retorno esperado;
  • traçar planos e metas mais assertivos;
  • projetar resultados mais tangíveis;
  • tomar decisões com embasamento melhor, apoiado por métricas;
  • melhorar resultados e lucros. 

Como calcular o ROI de UX? 

De um modo geral, existem duas formas de fazer este cálculo. A primeira traz um panorama mais simples para calcular a taxa de ROI: você pega os ganhos obtidos e subtrai desse valor o investimento inicial, divide por esse mesmo valor de investimento inicial e multiplica por 100. O resultado da conta é a sua taxa de ROI. 

O segundo formato é mais complexo e leva em consideração fatores como o tempo de execução do projeto, o tempo para pagar o investimento (em caso de empréstimo) e também a inflação no período. Para esses casos, não vamos detalhar aqui a especificidade da forma de calcular para que o texto não fique muito técnico. O importante é saber que esses cálculos podem ser feitos com facilidade, para que você tenha maior previsibilidade dos resultados oriundos da aplicação de UX. 

E por falar nisso, vale a pena mencionar aqui um estudo da Forrester, o qual aponta que, em média, cada dólar investido em UX traz o retorno de 100 dólares. 

Ao investir em experiência do usuário, você consegue resultados como melhoria da taxa de conversão da sua plataforma, do seu ticket médio, mais visualizações na sua página, menos solicitações de ajuda (o que aumenta a satisfação do usuário e alivia a sobrecarga nos setores de atendimento), economia de tempo e recursos. 

O ROI é o embasamento do UX

Como já ficou claro acima, o respaldo do ROI pode ser o argumento mais convincente para que uma empresa entenda que investir em UX não é apenas uma questão de “vaidade”. Sistemas e plataformas que geram erros constantes causam frustração no usuário, a consequência é perda de engajamento e de receita para a empresa. Em contrapartida, é preciso desembolsar mais recursos para corrigir essas falhas, treinar pessoas e construir interfaces melhores. Ou seja, poucos resultados e muitos recursos despendidos. 

Além disso, o trabalho do designer de experiências envolve muita pesquisa, o que também significa janelas para encontrar novas oportunidades de negócio e, consequentemente, aumento do ROI da empresa. 

Em suma, o ROI é uma forma de garantir mais transparência aos tomadores de decisão a respeito da alocação do investimento. Contar com pessoas especializadas para construir experiências transformadoras aos seus clientes não pode mais ser visto como diferencial, mas sim como parte do esforço básico para manter-se competitivo no mercado. 

Como você tem pensado na experiência do seu usuário? De que forma você analisa e mensura os investimentos que tem feito para aplicar UX nos seus processos? Escreva para a gente no contato@improve.business e vamos conversar com calma sobre o contexto que você vive hoje na sua empresa. 

Conteúdo produzido por Karina Alves.

COMPARTILHE ESTE POST

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Que tal nos contar sobre o
que você está querendo saber?

Que tal nos contar sobre o que você está querendo saber?

We Work Paulista
Av. Paulista, 1374
Bela Vista, São Paulo - SP
01310-100
Email: contato@improve.business
pt_BR
en_US es_AR pt_BR
Artboard 2@150x

Insira os dados abaixo para efetivar o download.