pexels-retha-ferguson-3811082
Improve Business

Improve Business

Você sabe qual é a diferença entre projetos rápidos e metodologias ágeis?

Há um senso comum errado de que um projeto rápido é concebido sempre com uma metodologia ágil. Entenda porque essa premissa está equivocada. 

Se você ainda não tem familiaridade com as metodologias ágeis, com certeza já ouviu falar sobre elas em algum momento. Esse modo de trabalho, que inicialmente surgiu para o desenvolvimento de softwares, pouco a pouco foi expandindo e ganhando outros mercados – e hoje pode ser aplicado em qualquer tipo de segmento. A despeito dessa popularidade, há ainda muita confusão entre metodologias ágeis e projetos rápidos. Na verdade, o quesito tempo não é suficiente para definir um projeto como ágil. Para tanto, é preciso que ele siga uma metodologia específica. E se você tem dúvidas a respeito disso, nós vamos tratar de esclarecê-las neste artigo.

O que são metodologias ágeis? 

Este conceito surgiu em 2001, quando um grupo de desenvolvedores optou por uma criar uma solução que resolvesse um problema constante que observavam no dia a dia: projetos que demoravam a sair do papel em função de etapas rígidas demais e necessidade de execução de cada uma delas por métodos tradicionais. 

Assim, eles elaboraram um documento, conhecido como Manifesto Ágil, o qual apontava quatro valores básicos para o desenvolvimento de softwares de modo mais eficiente. São eles: 

  • Os indivíduos e suas iterações acima de procedimentos e ferramentas;
  • o funcionamento do software acima da documentação; 
  • a colaboração com o cliente acima de negociação e contrato; 
  • a capacidade de resposta a mudanças acima de um plano pré-estabelecido. 

Essas premissas definem que o foco de qualquer projeto é criar uma experiência de excelência para o usuário. E para que isso aconteça, pode ser que seja necessário repetir etapas várias vezes, refazer processos, mudar concepções, tudo isso com liberdade de execução, sem a rigidez e burocracia que costumam fazer parte dos métodos tradicionais. 

Leia também:
Employee Experience para mães: o que as empresas estão fazendo para reter esses talentos em tempos de home office?
Pandemia do Covid-19: entenda como o Design Thinking pode ser a ferramenta ideal para ajudar os seus colaboradores no pós crise
Storytelling: qual é o valor que a sua história gera para o cliente?

Desde que o Manifesto foi lançado, diversos tipos de metodologias surgiram. Entre elas o Kanban, o Scrum, XP, Lean, entre outros. Não vamos focar aqui nas especificidades de cada uma delas, o mais importante neste momento é saber que elas focam em várias iterações e pequenas entregas constantes até que se chegue ao resultado final do projeto. Aqui, a premissa é entregar e adaptar constantemente, entendendo os gaps e as necessidades do usuário até que se chegue a um produto ou serviço de excelência. 

Então uma metodologia ágil é capaz de tornar um projeto mais rápido? 

O objetivo: alcançar um resultado excelente com otimização do tempo. Mas isso não significa que todo projeto rápido seja feito com base em uma metodologia ágil. Isso porque, como dissemos na introdução do texto, para que um projeto seja ágil ele precisa obedecer aos critérios dessas metodologias. 

É possível, por exemplo, entregar um projeto em um curto espaço de tempo, porém completamente estruturado com base em metodologias tradicionais. Essas, por sua vez, são mais burocráticas, as etapas são definidas em cascata, o foco é mais direcionado para o resultado final e, caso haja algum tipo de falha ao longo do processo, o projeto fica sujeito a aprovações e revisões mais demoradas. Nestes formatos, o planejamento é prioritário, ou seja, quanto maior o número de alterações, mais comprometido fica o prazo da entrega do projeto final. É um modo de trabalho que não dá espaço para muita flexibilização. 

Quais as principais vantagens em adotar metodologias ágeis? 

Um dos fatores mais vantajosos é a premissa de realização de ciclos rápidos de desenvolvimento, o que possibilita uma entrega rápida e constante ao cliente para obter seus feedbacks. A partir daí é possível aprimorar o que for necessário e, em seguida, caminhar para o ciclo seguinte. Esse formato permite que sejam feitas validações constantes, sem que haja necessidade de seguir etapas específicas para isso.

Ainda que esse método de trabalho seja revolucionário, é importante destacar que as pessoas envolvidas devem ter o mindset aberto para que os processos funcionem. Neste modelo, todos os envolvidos têm papel fundamental, o que significa trabalhar com espírito colaborativo, escuta ativa, integração e transparência. 

Também é fundamental entender que o sucesso do cliente depende de aprimoramento constante. Ou seja, o foco não é ficar sempre direcionado a uma entrega perfeita, mas sim a uma entrega funcional. É a partir do aprendizado, dos feedbacks e das adaptações que se constrói a entrega final perfeita. 

Quer saber como aplicar metodologias ágeis nos processos da sua empresa? Fale com a gente pelo contato@improve.business, será um prazer ouvir sobre a sua realidade e seus desafios atuais. 

Conteúdo produzido por Karina Alves.

COMPARTILHE ESTE POST

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Que tal nos contar sobre o
que você está querendo saber?

Que tal nos contar sobre o que você está querendo saber?

We Work Paulista
Av. Paulista, 1374
Bela Vista, São Paulo - SP
01310-100
Email: contato@improve.business
pt_BR
en_US es_AR pt_BR
Artboard 2@150x

Insira os dados abaixo para efetivar o download.