mundo dos negócios
Improve Business

Improve Business

O que o pânico com o coronavírus te ensina sobre o mundo dos negócios?

O crescimento da doença ao redor do mundo alarmou a população e levou a algumas medidas extremas. Será que esse comportamento se repete no mundo dos negócios?

O surgimento do coronavírus colocou o mundo em estado de alarde. Entre informações válidas e fake news, autoridades da área de saúde se esforçam para conter o avanço da Covid-19. Mas afinal, por que será que nos sentimos tão amedrontados pelo vírus? Mais além, porque estamos falando sobre isso em um site sobre design de serviços? 

O ponto é que existe um viés cognitivo que pode explicar tanto nossas reações em relação ao novo vírus quanto as decisões impulsivas que muitas vezes são tomadas no mundo dos negócios. E é sobre isso que vamos falar hoje! 

Como negligenciamos a probabilidade

Recentemente o colunista da Bloomberg, Cass Sustein, publicou um texto em que relaciona o pânico a um viés cognitivo que nos faz negligenciar a probabilidade toda vez que há algum gatilho emocional muito forte envolvido, seja ele positivo ou negativo. Isso acontece porque aquele gatilho prende a sua atenção de tal forma que você passa a ignorar quais são as chances daquilo de fato acontecer. 

Para provar este argumento, ele relembra um estudo feito por Christopher Hsee, da Universidade de Chicago, e Yuval Rottenstreich, da Universidade da Califórnia em San Diego. A experiência envolveu dois grupos de pessoas: o primeiro grupo foi questionado sobre quanto estaria disposto a pagar para evitar 1% de probabilidade de ter uma experiência curta e dolorosa envolvendo um choque elétrico (sem provocar danos à saúde). O segundo grupo foi questionado sobre o quanto estaria disposto a pagar para evitar uma probabilidade de 99% de ter a mesma experiência descrita ao primeiro grupo. 

Surpreendentemente, o primeiro grupo respondeu U$ 7,00, enquanto o segundo grupo respondeu U$ 10,00. Ou seja, não houve uma diferença tão expressiva entre os valores pagos, mesmo com uma diferença extrema na probabilidade do fato acontecer. Seja 1% ou 99% de chances de algo negativo acontecer, os dois grupos se esforçam de forma praticamente igual para evitar a dor. 

Quando o gatilho emocional da dor é retirado, as pessoas voltam a dar atenção à probabilidade. Os mesmos pesquisadores mostraram em experimento similar que a média das pessoas está disposta a pagar US$ 1 para evitar uma probabilidade de 1% de perder US$ 20, enquanto se dispõe a pagar US$ 18 para não perder US$ 20 quando essa probabilidade sobe para 99%. 

Como isso afeta o dia a dia da sua empresa?

Esse viés nos leva a entender de onde vem comportamentos que ignoram probabilidade. Como acreditar que você pode ter um retorno milionário com determinado produto, mesmo sem testá-lo ou validar se ele tem relevância no mercado. Você tem uma ideia que parece inovadora, ou simplesmente vê a concorrência fazer algo que parece funcionar, e parte direto para o investimento naquilo que você acredita que vai funcionar. 

Mesmo com um dado de que 74% das startups brasileiras fecham depois de cinco anos de mercado, muita gente ainda se aventura financeiramente para abrir startups sem fazer o devido planejamento e estudo de mercado para que elas sobrevivam. 

Hoje, você se preocupa mais em evitar ser contaminado pelo coronavírus do que em tomar medidas preventivas contra a dengue, doença conhecida que aumenta no período de verão e que só em 2019 provocou mais de 750 mortes em todo país. E aqui é válido reforçar que sua preocupação e cuidados para evitar ser contaminado pelo novo coronavírus são extremamente importantes – tanto para você quanto para as pessoas à sua volta. O ponto é somente demonstrar como os gatilhos que a nova doença provoca, hoje, são infinitamente maiores do que outras enfermidades. 

Mesmo sabendo que suas chances de ganhar são muito pequenas, você provavelmente vai se arriscar a fazer um joguinho na loteria da próxima vez que o prêmio da Mega Sena estiver acumulado. O gatilho emocional de se imaginar com o bilhete premiado em mãos é muito mais forte do que a racionalização das suas chances reais. 

Identificar esses gatilhos é importante para que você não caia na cilada de agir com negligência em relação às probabilidades do seu sucesso ou fracasso. E neste ponto, o design de serviços é a ferramenta ideal para te ajudar. Antes de colocar uma ideia, serviço ou produto no mercado, é preciso testar, validar, prototipar. E é para isso que estamos aqui. 

Nossa dica para hoje? Fique em casa durante a quarentena e lave bem as mãos para evitar o coronavírus. Ah, se não quiser dar um passo no escuro com seu projeto no mundo dos negócios, mande uma mensagem para a gente e vamos bater um papo!

COMPARTILHE ESTE POST

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Que tal nos contar sobre o
que você está querendo saber?

Que tal nos contar sobre o que você está querendo saber?

We Work Paulista
Av. Paulista, 1374
Bela Vista, São Paulo - SP
01310-100
Email: contato@improve.business
pt_BR
Artboard 2@150x

Insira os dados abaixo para efetivar o download.